O amor está em todos os lugares e às vezes onde a gente menos espera. Sabemos que ele é resultado de uma sintonia, uma energia, algo que não se explica, se sente. Quando “rola uma química”, um sentimento diferente, pode ser o começo de uma linda história. Partindo dessa ideia, selecionamos abaixo algumas histórias engraçadas e curiosas de casais que se conheceram e se apaixonaram em baladas e clubs ao redor do mundo.

Jack e Libby – Rhythm Section, Peckham, England

Depoimento de Jack:

“Fiquei encarando-a enquanto ela estava do meu lado, seus olhos encontraram os meus, no momento que ela terminava de tomar um longo gole de sua garrafa de água. Nesse ponto, ela sabia que eu estava com sede, me ofereceu e gentilmente agradeci-a com um gesto. O club estava cheio, pessoas de diferentes origens, todos curtindo de sua maneira. Um remix da clássica “Gypsy Woman” do Crystal Waters estava tocando. Depois disso fomos à um parque próximo ver o nascer do sol.
É raro eu encontrar alguém que eu sinto que posso ser completamente eu mesmo e eu poderia dizer que ela se sentiu da mesma forma, por isso nos tornamos parceiros de crime. Desde então e todas as vezes que podemos voltamos ao Rhythm Section para reviver essa noite.”

Linn e Chad – Revolver, Melbourne, Australia

Depoimento de Linn:

“Nós nos conhecemos no Revs (Revolver). Era meio-dia em um domingo, que é sempre o melhor momento da semana para ir. Eu terminei o trabalho e fui com meus amigos. Entretanto, Chad tinha vindo para pegar o seu amigo Mitch, mas Mitch o arrastou para dentro pois ainda estava muito animado. Eu realmente não consigo pensar em como descrever esse lugar, é tão especial. Todo mundo muito animado aproveitando o som durante muitas e muitas horas, viajando na profundidade da música. Acabei conhecendo meu amor quando um rapaz ficou muito louco e gritou comigo porque eu derramei minha bebida sobre ele. Eu fiquei realmente perturbada, então fui para a área de fumante e queria compartilhar a história com alguém, desabafar. Haviam dois garotos sentados no chão, Chad e Mitch e perguntei se queriam escutar o que tinha acabado de acontecer. Os garotos acenaram com a cabeça, então expliquei a história. Mitch ficou um pouco distraído e Chad estava apenas olhando para mim escutando tão atentamente, então eu acabei apenas contando a história inteira para ele. Tive que pedir desculpas a ele depois e agradeci-lhe por ser o único a ouvir. Fomos comer uma pizza barata depois do Revs e Chad pagou para mim, mesmo tendo um jantar de familia, preferiu comer comigo.
Conversamos muito no Facebook e em seguida, nosso próximo encontro foi em um clube diferente, Killing Time. Depois que fomos à Revs novamente. Estamos juntos há três anos e temos ido lá muitas vezes desde então, conhecendo varios de nossos melhores amigos lá também. Chad e eu temos muito amor pela pista de dança e não somos um casal que fica em casa no sofá em uma noite de sábado. Sempre saímos para dançar, quase sempre juntos.”

Tara e Andy – Hell, Melbourne, Australia

Depoimento de Tara:

“Nós nos conhecemos na fila de um strip club. Fomos lá porque um homem estava andando na rua, distribuindo cartões de entrada grátis para o local e coincidentemente ficamos curiosos. Havia um alemão atrás de mim na fila, e eu estava tentando me comunicar com ele. Andy pensou que eu estava convencendo-o em alemão que eu era uma stripper. Entramos no club juntos e vimos algumas strippers e em seguida, decidimos ir para Hell. Foi muito legal. Passamos um bom tempo juntos na pista de dança. Foi um dos primeiros lugares que eu saí e foi este lugar com um monte de luzes estroboscópicas, máquinas de fumaça, que me chamou muita atenção. Tudo o que eu lembro foi que aproveitamos muito e depois fumamos cigarros numa espécie de beco. Achei que devíamos jantar depois disso. Eu realmente queria vê-lo novamente e ele também. Eu tive que ir trabalhar no dia seguinte e falei para uma das colegas da empresa que tinha começado a namorar na noite passada e ela riu de mim, falando que amor de balada não existe. Infelizmente tinha passado meu número errado acidentalmente para Andy que não conseguiu se comunicar comigo. Mas finalmente nos encontramos novamente, quando fui em uma cafeteria com minha amiga que ia se encontrar com um moço que estava saindo e Andy também estava la.  Foi difícil convencê-lo de que não havia sido proposital. Desde então, estamos juntos há 18 meses.”

Steph e Beau – Beaver Bar, Banff, Canada

Depoimento de Steph:

“Eu ja havia visto ele cantando algumas vezes no Karaoke. O pessoal se reunia no local pra dançar e curtir ao som das músicas. Ele era um rapaz muito descontraído e acabava sendo engraçado, então eu sempre o conheci como aquele cara hilário no karaokê. Não tenho certeza se eu chamaria de talento musical, mas com certeza cativava a multidão no microfone. No meu aniversário decidi fazer a minha comemoração lá mesmo, no Beaver Bar. Foi uma noite de sábado repleta de canções clássicas; Eu me lembro especialmente de “Unwritten” de Natasha Bedingfield naquela noite. Uma briga acabou acontecendo e nós nos encontramos presos no meio dela, tentando acalmar as coisas. Eu poderia sentir que ele se sentiu mal por mim, porque era meu aniversário e o clima ficou horrível depois disso. Ele continuou perguntando se eu estava ok, mostrava preocupação. Nada aconteceu naquela noite, mas eu estava ansiosa para encontrá-lo novamente. Algumas noites mais tarde, a empresa de meu amigo alugou um dos clubes em Banff chamado Sasquatch e organizou uma grande festa. E ele estava lá. As coisas foram desenrolando naquela noite e tudo o que me lembro foi ter conversado com ele sobre o que aconteceu no meu aniversário e de ter fumado um cigarro com ele. A partir desse ponto, senti que as coisas iam acontecer naturalmente, estava muito confortável. Desde então estamos juntos e retornamos ao Beaver sempre que possível, é como uma segunda casa, toda vez vamos lá estamos cercados por rostos familiares na pista de dança.”

Alex e Claire – Trouw, Berghain, Panorama Bar, Salon Zur Wilden Renate

Depoimento de Alex:

“Claire é dos Países Baixos. Eu conheci seu primo no Trouw, em Amsterdã, um dos melhores clubes do mundo. Depois dessa noite, alguns meses depois, coincidentemente a conheci em um show de Dixon e Âme, em Melbourne. Ela teve que ir embora e eu prometi, que viria do outro lado do mundo, para vê-la.
Eu não sei, ela era linda, sorridente, muito doce… e inteligente. Ela realmente me motivou. Fomos para Salon Zur Wilden Renate e Panorama Bar em Berlin, e foi aí que eu pedi a ela para ficar comigo. Dissemos um ao outro que nos amávamos no Berghain.”

Fonte: THUMP

Vinicius Meneghel

Vinicius Meneghel

Colaborador da Play EDM. Cursando administração na UFSCar e direito na FADI. Frequentador assíduo de festivais em todo Brasil, amante do Trance, Hardstyle e Progressive House.